A mão estendida

07/02/2011 23:04

(Lucas 10.25.37)

A cena se passa numa praça qualquer

MENINO..... Alguém pode me ajudar? Tô com fome. Fui abandonado pelos meus pais...Moço tem um trocado para me dar? Tio me paga um Lanche? Alguém me ajude... Minha barriga dói, sinto-me fraco, não aguento mais caminhar...Tia me dá um trocado? Eu tô com fome. Ai, quem me dera se eu tivesse um pedaço de pão para comer. (O menino dirige-se para o banco deita-se encolhido com a mão no estômago).

Entra um alcoólatra com um maço de cigarro na mão.

ALCOÓLATRA - (alegre) O dia tá bonito... O dia tá bonito... pra passear com todo mundo... com os amigos, com a família... com a mulher e os filhos... (emudece). Família... Cadê a minha família... meus amigos... todos me abandonaram... eu tentei... mas não consegui. Tudo por causa disso... (indignado). Desta maldita bebida, dessa droga de cigarro. Eu não aguento mais essa situação. Eu não aguento... quero ajuda, mas não consigo... não tenho forças. Que situação... (O alcóolatra dá um gole na garrafa e senta-se no canto do banco).

Entra um viciado em drogas esfaqueado

VICIADO - (cambaleando) Meu Deus me ajuda... Olha só o meu estado... Bem que minha mãe me disse. Meu filho não ande com essas companhias, eles não te edificam em nada... seus amigos estão na igreja meu filho... Não ande por este caminho... E o meu pastor? Quantos conselhos ele me dava e eu não quis dar ouvidos... As noites que ele deve ter passado, orando pela minha alma, e eu troquei os seus sábios conselhos pelas drogas. Agora estou morrendo... Estou morrendo...

JESUS (OFF) - E ocasionalmente descia pelo mesmo caminho certo sacerdote, e vendo-o, passou de longe (entra o sacerdote).

MENINO - Moço. O senhor poderia me dar uma ajuda?

SACERDOTE - Não posso...

MENINO - Estou com fome...

SACERDOTE - Não menino, eu não tenho tempo para te ajudar. (sai).

JESUS (OFF) - De igual modo também um levita, chegando a aquele lugar, e vendo-o passou de longe.

ALCOÓLATRA - (aproximando) Meu senhor... boa noite... com sua licença eu...

LEVITA - Desculpe, eu não...

ALCOÓLATRA - Por favor... só uma ajuda.

LEVITA - Não posso...

VICIADO - Me ajude pelo amor de Deus... Estou morrendo...

LEVITA - Já disse que não posso ajudar vocês, eu não tenho tempo. Me deixem em paz.

JESUS (OFF) - Mais um samaritano que ia de viagem...

SAMARITANO - (entra e vê a cena desdado e não acreditando no que está vendo. Passa por eles segundo até a frente. Olhando para o céu ele ajoelha-se e clama ao Senhor com grande tristeza.)

SAMARITANO - Meu Deus, quanta miséria... quanta desgraça... até quando senhor? Até quando continuará esta situação? Pessoas se matando, a droga proliferando cada vez mais. Oh! Senhor quanta amargura está o meu coração... As nações vivem em guerra. Adultos e crianças morrem de fome do descaso... Pela ambição... É pai contra filho, filho contra pai... Até quando Senhor? Até quando? Os dias vão se passando e a iniquidade vai aumentando, esfriando cada vez mais o amor de muitos. Quando irá acabar a situação degradante... Quando...? Ajuda-nos meu Deus... Apressa-te em ajudar-nos...

JESUS (OFF) - Filho, levantai os vosso olhos e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa. E o que a ceifa recebe galardão... A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. Rogai pois ao Senhor da seara que mande o ceifeiros para a sua seara. Sai depressa pelas ruas e bairros da cidade, e traze aqui os pobres, e aleijados, mancos e cegos.

Aquele que crê em mim tem a vida eterna. Eu sou o pão da vida. Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Eu sou o bom pastor... que crê em mim, ainda que esteja morto viverá,... Em verdade vos digo, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte. Não temas filho meu... segue-me tú... E apascenta as minhas ovelhas.

MÚSICA - (O samaritano dirige-se para o alcoólatra e abraça-o, com carinho ao viciado passa o bálsamo, a criação reparte um pedaço de pão. A medida que a música vai tocando, o samaritano põe o menino sobre os ombros depois o viciado ajudado pelo alcoólatra, os quatro caminham para a frente. A luz vai apagando junto com a finalização da música).